Ansiedade infantil.

Ansiedade infantil – 6 maneiras para evitar a ansiedade do seu filho

Quando se trata da ansiedade infantil, os pais podem efetivamente ser parte do problema ou da solução. O resultado de um estudo publicado pelo American Journal of Psychiatry indicou que, independentemente das características genéticas, existe uma forte tendência à transmissão ambiental da ansiedade de pais para filhos. Isso significa que os comportamentos ansiosos dos pais podem ser aprendidos pelos filhos, bem como a ansiedade das crianças pode também aumentar o comportamento ansioso dos pais.

A boa notícia é que os pais podem ter um papel ativo na redução da ansiedade infantil, através da mudança dos seus próprios comportamentos e ajudando a modelar habilidades eficazes de enfrentamento por parte das crianças.

6 maneiras pelas quais os pais contribuem para a ansiedade de seus filhos

A ansiedade do seu filho não é voluntariamente sua culpa, mas é possível que algumas das práticas parentais das quais você mais se orgulha estejam na verdade piorando as coisas.

1. Ansiedade infantil – Se importando muito

Quando seu filho chega da escola com histórias de garotas malvadas, garotos agressivos e professores insensíveis, você sente pena dele e, muitas vezes, deixa transparecer … mas talvez não devesse. Nossos filhos se alimentam das nossas emoções e ficam mais angustiados quando estamos angustiados. Quando um filho comunica suas preocupações, apenas para que os pais comecem a se preocupar também, isso definitivamente torna as coisas piores.

Ele precisa que os pais sejam fortes, mas, em vez disso, enviam inadvertidamente a mensagem de que a ansiedade é a reação “certa” aos problemas da criança. Por mais difícil que seja, precisamos controlar nossa própria ansiedade enquanto simpatizamos com a dele. Temos que ser a rocha emocional: a pessoa que entende, apoia e (se perguntado) aconselha, sem nunca mostrar que os problemas dos filhos também nos deixam ansiosos.

2. Ansiedade infantil – Advogando muito

Todos nós queremos defender nossos filhos, mas nossa ânsia de advogar pode, às vezes, aumentar os níveis de ansiedade. Se seu filho compartilha um problema escolar com você, seu primeiro instinto geralmente é marchar até a escola e tentar resolvê-lo. Isso diz ao seu filho duas coisas. Em primeiro lugar, ele não pode lhe dizer algo em confiança e, em segundo lugar, você não tem fé nele para resolver seus próprios problemas.

Certifique-se de que seus filhos saibam que você só advogará em seu nome com seu pleno conhecimento e consentimento. Sua primeira prioridade deve ser ajudá-los a encontrar uma solução que possam implementar sem a sua ajuda, sempre.

3. Ansiedade infantil – Compensando as fraquezas

Todos nós queremos ajudar nossos filhos nas coisas contra as quais eles lutam. Uma nota ruim em matemática e contratamos um professor particular. Um problema com um agressor e nós compramos um livro sobre como lidar com os agressores. Porém, sem querer, estamos incentivando-os a se concentrar no negativo. A maioria de nós ganha confiança não compensando as fraquezas, mas jogando com os nossos pontos fortes. Aqueles de nós que são realmente felizes com a vida adulta aprenderam a fazer as coisas em que são bons e a não se estressar com o resto.

Provavelmente delegamos ou terceirizamos as coisas em que somos realmente ruins. As crianças nem sempre podem evitar suas áreas fracas, mas ao nos concentrarmos nos pontos fortes, construímos a autoeficácia e confiança. Da próxima vez que você ficar tentado a passar o fim de semana pesquisando professores de matemática porque seu filho está se saindo mal em matemática, considere, em vez disso, passar todo o fim de semana fazendo coisas nas quais ele é bom. Seu senso de confiança e competência retornará. Pode até ser transferido para sua próxima aula de matemática.

4. Ansiedade infantil – Exagerando os pontos fortes

Sim, eu sei que acabei de dizer foco nos pontos fortes, e totalmente deveríamos. Só não a ponto de nossas expectativas causarem mais ansiedade. Quando você constantemente diz às pessoas que seu filho está no caminho certo para uma faculdade importante ou que sua filha vai ser uma ginasta olímpica, você sente que está fortalecendo-as, mas no final a afirmação positiva se transforma em pressão.

Elogie seus filhos quando eles se destacam, mas não faça da excelência deles um motivo para esperar ainda mais deles. Expectativas excessivamente altas podem criar ansiedade de desempenho onde costumava haver alegria e realização pessoal.

5. Ansiedade infantil – Tendo grandes valores

Você provavelmente trabalhou muito para encorajar bons valores em seus filhos, mas os valores são desafiados e ser muito apegado aos seus pode significar que seu filho fica obcecado por eles. Houve mais de um caso trágico de jovens se suicidando por causa de incidentes que nunca deveriam ter levado à morte. De postar fotos nuas a assistir pornografia, às vezes as crianças fazem escolhas ruins, e a ideia de família descobrindo pode parecer um destino pior do que a morte.

Deixe seus filhos saberem que embora os valores sejam importantes, você compreende a realidade e as tentações que eles enfrentam. Não crie uma cultura em que seus filhos estejam ansiosos demais para vir até você e admitir que erraram, ou estão sob pressão para errar, porque temem que você os julgue ou a seus amigos.

6. Ansiedade infantil – Escondendo seus problemas

Todos nós gostamos de proteger nossos filhos da ansiedade, não os preocupando com nossos próprios problemas. Se estamos lutando financeiramente ou temos problemas com nosso cônjuge, achamos que é melhor para nossos filhos não saber. Mas eles sabem. Eles são super perceptivos. Eles simplesmente não sabem a história toda, então a explodem em todas as proporções, especialmente se já estão sofrendo de ansiedade.

Devemos empilhar nossos próprios problemas sobre os ombros de nossos filhos? Não, mas não custa ser honesto sobre quais são nossas preocupações e, mais importante, o que estamos fazendo a respeito. Ao compartilhar o que nos deixa ansiosos e como lidamos com isso, estamos modelando maneiras práticas de resolver a ansiedade.

Saiba mais sobre a ansiedade clicando aqui.

Saiba mais sobre o uso da hipnose no alívio da ansiedade clicando aqui.

Fonte de Pesquisa: The Washington Post – 6 ways good parents contribute to their child’s anxiety